Mais um dos antigos para vocês!

“Como pode alguém entrar para a história sem ter ao menos seu nome mencionado nas linhas sagradas da Bíblia? Não faz sentido pra você? Nosso Deus trabalha de forma que nós, humanos falhos e imperfeitos não podemos compreender…

Preste atenção nesta história: Naamã era um General do exército do Rei da Síria, um homem muito respeitado e estimado pelo rei do seu país. Num dos seus ataques contra Israel, os sírios haviam levado como prisioneira uma menina israelita, que ficou sendo escrava da mulher de Naamã.

E é exatamente sobre essa escrava que vamos falar esta noite.

Naamã, apesar de um grande comandante sofria de uma doença incurável, ele era leproso. E certamente, já havia usado de seus recursos e tentado a cura de todas as formas.

Imagine por um momento o desespero deste homem: Possuía prestígio, dinheiro e honra, mas, nada disso poderia livrá-lo de seu destino inevitável. Talvez ele já estivesse se preparando para a morte, ou então construído um local para ficar quando a sua pele, então apodrecida, o impedisse de ficar próximo a outras pessoas.

Ele não possuía mais perspectivas de vida. Apenas um milagre poderia livrá-lo da morte.

Do outro lado vemos uma escrava, sem vontade própria, sem liberdade, longe da família, daqueles que ela amava…E aos nossos olhos humanos ela igualmente não possuía perspectivas…

E é exatamente aí que a história passaria a ser escrita por uma caneta celestial, e aquela jovenzinha que foi arrebatada de sua pátria e se tornara escrava mudaria para sempre a vida de um comandante.

Corajosamente a escrava vendo a situação de seu senhor, e movida por uma íntima compaixão, compaixão sim, porque o seu compromisso era com alguém que lhe permitia esquecer que era escrava e olhar para Naamã com um olhar de misericórdia, porque seu corpo era escravo sim, mas seu coração era livre no Senhor.

Oh! Aleluia! Ela sabia que tinha um Deus em quem podia confiar! E não se calou diante de uma situação que poderia engrandecer o nome do Senhor. E foi sua fé absoluta que a levou a dizer com autoridade: – Eu conheço alguém que tem o poder de ajudá-lo!

E através dela Naamã foi milagrosamente curado.

Que coragem daquela jovem, que exemplo de compaixão e fé! Ela creu mesmo sem motivos, contra as circunstâncias, ela creu quando poderia ter acusado Deus por tê-la deixado ser levada cativa para Síria, mas não amados, a atitude dela foi confiar. Embora ela não estivesse compreendendo o que acontecia, sabia que Deus continuava trabalhando…Mesmo quando todos os acontecimentos estavam dizendo o contrário, a sua confiança no Deus vivo não foi abalada…

Talvez você veio aqui esta noite, sorriu, cantou, e até orou…mas as circunstâncias da sua vida o têm levado a incredulidade, e a desacreditar que um milagre pode acontecer e que a sua história pode ser mudada. Mas eu quero te dizer que nós estamos falando de um Deus de milagres que deseja reescrever sua história, mas, para isso é preciso que você creia e confie, acima das circunstâncias, dos acontecimentos, e daquilo que os seus olhos carnais pode ver.

Porém, mais importante do que o milagre em si é estar junto àquele que nos concede. O milagre tem um propósito: levar-nos a Deus. O que importa é estar junto a Ele, nos Seus braços. Dessa forma, o milagre não será jamais esporádico; será diário, seja ele qual for: desde a provisão necessária para o pagamento de suas contas até a restauração de seu filho, de seu casamento ou de sua saúde.

Declare comigo hoje que a sua confiança está depositada no Deus que pode TODAS as coisas…”