Texto do Mauricio Zagari que veio ao encontro de pensamentos e sentimentos que tem me incomodado nas últimas semanas.

Arrependimento! E um questionamento sobre minha posição no mundo como alguém que deseja provocar mudanças profundas em outros inconformados como eu!

******************************************************************************************************

Me perdoe, mas hoje eu vou ofender pessoas. Talvez até você. Se não quiser ler ofensas ou ser ofendido por favor pare de ler este texto agora. AGORA! É sério. Se continuar lendo, por favor não diga que não avisei antes, quero te preservar de ficar com raiva de mim.

Bem, se você continuou lendo, vá adiante por sua própria conta e risco.

Como membro da comunidade cristã, sigo e sou seguido no twitter em sua esmagadora maioria por cristãos. E leio o que escrevem. Entenda, não estou me pondo acima do bem e do mal, não estou posando de santarrão, não acho que twitter, blogs ou o facebook (este não possuo) foram feitos para se falar apenas sobre as coisas de Deus. Você tem total direito de escrever o que quiser, o espaço é seu, você não é obrigado a nada. Falar ou não seriamente sobre as coisas de Deus é uma opção de cada cristão e não estou aqui para julgar ou condenar ninguém.

Mas ao mesmo tempo fico imaginando o que os mártires do Evangelho escreveriam no twitter, num blog ou no facebook. E quando falo de mártires, me refiro às milhares de pessoas que nos dias de hoje dão suas vidas, perdem seus bens, vão para a prisão, são expulsos de países, são renegados por suas famílias, são incendiados vivos e passam por muitas outras situações inimagináveis pelo simples fato de que seguem Cristo (se você não sabia que isso ocorre em nossos dias, sugiro que dê uma espiada no website do Ministério Missão Portas Abertas). Fico imaginando se o pastor iraniano Abdolreza Haghnejad, por exemplo, que foi preso pela segunda vez pelas autoridades iranianas enquanto fazia uma visita pastoral, escreveria no twitter “kkk, o CQC hoje tá demais”. Ou se os membros da Igreja Presbiteriana do Sudão, cujo templo foi destruído por extremistas muçulmanos há sete meses e até hoje têm medo de se reunir, diriam no facebook “O Mengão hoje detonou o Flu. Dá-lhe Mengo!”.

Volto a dizer: você tem direito de falar o que quiser nas redes sociais, mas… é meio surreal ver cristãos (a idade é irrelevante, podem ser jovens ou mais velhos) que vivem num mundo que está morrendo em meio à podridão do pecado ficarem escrevendo no twitter “Cheguei em casa e estou preparando batata frita”. A pergunta é… a quem isso interessa? Qual é a relevância disso? Pra que você está dizendo isso? Em que isso acrescenta? A quem isso ajuda? E DAÍ?

O fato de cristãos estarem escrevendo irrelevâncias nas redes sociais que não interessam a absolutamente ninguém não é o problema em si, pois é apenas como jogar um copo de água no mar (não fere, não causa dano), mas o que é crítico é que isso é um sintoma. Um sintoma de que a Igreja de Cristo está se tornando irrelevante para e no mundo. Se falamos irrelevâncias é porque pensamos irrelevâncias. E se pensamos irrelevâncias é porque nosso coração está lotado de coisas irrelevantes. Jesus mesmo disse: “Pois a boca fala do que está cheio o coração” (Mt 12.34b). Se você tem um copo de água, amigo, não jogue no mar, tente apagar um incêndio com ele (pois aí ele servirá de alguma coisa).

Usamos os nossos espaços (e, entenda, aqui usei as redes sociais apenas como um exemplo de algo muito maior) para falar e fazer coisas que absolutamente não têm importância nenhuma para ninguém. Nenhuma! A nossa pregação não tem significado nada e não tem importado para pecador algum. Pois em vez de pregarmos Cristo, proclamarmos o Salvador, semearmos as boas-novas de salvação…. estamos pregando piadinhas no púlpito, contando histórias irrelevantes, soltando anedotas no altar sagrado do Altíssimo. Não falamos mais de Jesus, da Cruz, da ressurreição. Não compartilhamos com nossos colegas de trabalho, de escola e faculdade o que Deus fez por nós. Não dizemos que Ele é a única esperança de vida eterna, que o Criador é o caminho e a porta estreita. Em vez disso, dizemos que hoje comemos batata frita. É disso que está cheio nosso coração? De batata frita?

Fico imaginando o pastor Dev Kumar Chetri, do Nepal, onde ser cristão é dificílimo pela perseguição do governo, dizendo no twitter “Me segue que eu te sigo de volta”. Sinceramente, será que um homem que devota sua vida a lutar contra tudo e todos para pregar a mensagem da salvação não diria “Siga Jesus!!! Pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida e Ele sim é que importa”?! Que valor tem você pedir para alguém te seguir de volta? Diga algo que importe para alguém e ele naturalmente te seguirá. Se ele te seguir só porque você pediu, o que você escrever não fará nem fi nem fó na vida dele. Você se tornará irrelevante, mesmo com milhares de seguidores. Ninguém te dará a mínima.

Vejo muitos dizendo nas redes sociais de onde estão chegando. Outros que vão cortar o cabelo. Outros divulgam seus projetos pessoais. Outros dizem apenas que estão escovando os dentes enquanto tuitam. Tá bem. Tá legal. De vez em quando vá lá dizer que está estudando para a prova de matemática. Que o culto foi uma bênção. Que Justin Bieber é um gatinho. Mas… e daí? Que diferença isso faz? Será que você pensa antes de tuitar algo se aquilo vai ter importância para uma alma sequer no planeta? Se aquilo terá relevância para quem quer que seja?

Mas não há nada mais relevante que Cristo. E isso sim é um assunto que tem relevância para todas as 7 bilhões de almas no planeta. Fale sobre isso, meu irmão. Pregue sobre isso, minha irmã.

Imagine se existissem redes sociais na época dos apóstolos. Você consegue imaginar sobre o que eles escreveriam? Bem, primeiro eu acredito que nenhum deles teria twitter, mas sim blogs, onde pudessem desenvolver pensamentos bem elaborados, com começo, meio e fim. Não é isso uma epístola? Não foi isso o que Paulo fez? Pedro? Tiago? João?

Imagine Tiago tuitando em 140 caracteres (sem contexto, sem uma explicação mais profunda, sem exegese, nada): “A fé sem obras é morta”. Pronto, estaria lançada a confusão. Não é isso o que fazem tantos pastores irresponsáveis, quando soltam no facebook ou no twitter frases como “Tornei-me cristão quando saí da igreja”, sem explicar, sem contextualizar, só para polemizar e sei lá mais o quê?! Muito bem fariam pastores que escrevem no twitter “Um Deus que mata milhões num tsunami deveria ir pro inferno” se calassem a boca e não escrevessem algo tão sério e forte sem uma explicação bíblica mais profunda e embasada (desculpe, eu avisei lá no início que hoje eu ofenderia pessoas). Mas a verdade é que as redes sociais usadas por cristãos estão se tornando irrelevantes e imbecilizantes, para não dizer irresponsáveis. Um pastor que escreve “Nós somos os da graça e eles os da religião” e não explica nada está ajudando em quê o Reino de Deus? Pelo contrário, está sabotando o Reino, pois semeia a discórdia sem uma explicação lógica e detalhada.

O Evangelho tem que ser pregado. E com urgência. O mundo está despencando, leproso, canceroso pelo pecado que o consome. E nós perdemos tempos gargalhando com as piadas bobocas do Pânico na TV e do CQC. É para isso que vivemos? E seria por isso que morreríamos? Gastamos nosso tempo tuitando “Estou comendo agora chocolate com guaraná”. QUEM SE IMPORTA???

Hoje li no twitter (retuitado, pois não perco meu tempo lendo as inutilidades que esse cavalheiro escreve) a frase “A vida é um caminhar; mas mtos caminham sem saber para onde, seguindo outros q tb ñ sabem. A fé é uma aposta em um rumo q dá sentido”. Ahn??? O que issso quer dizer??? De que modo isso muda algo??? Desculpem, queridos, mas vivemos no reino das frases de efeito, daquilo que é bonitinho dizer, das palavras parnasianas, vazias, sem resultados práticos. E esse cavalheiro tem quase 7 mil seguidores! Por quê? Pra quê? Pra ler frasezinhas que fazem os followers dizer “oh, que lindo!”? Lindo é ver um pecador regenerado e convertido de seus pecados e não frases poéticas escritas por pastores e teólogos polêmicos cujas falas só geram confusão.

Você é um pecador. Jesus morreu por você. Arrependa-se dos seus pecados e entregue sua vida a Ele. Viva num crescente de santidade. Isso sim é relevante. Tuite isso.

Novamente: você tem o direito de escrever sobre o que quiser nas redes sociais. Pode falar do cabelo da Dilma, do gol do Neymar, do bate-boca no programa da Luciana Gimenez. Só lembre-se de uma coisa: em nenhum desses assuntos Deus importa. Se você quer fazer Deus importar para um mundo que precisa desesperadamente de um Deus relevante, comece a falar com seriedade sobre Ele. Um pouco no twitter. Um pouco no facebook. Mais um pouco no seu blog. E totalmente na vida real.

Peço perdão a você por minhas palavras hoje estarem tão contundentes. Peço perdão de todo coração. Não quero soar agressivo, não acredito em agresividade. Mas o mundo precisa ouvir palavras contundentes sobre a Cruz de Cristo. O mundo não precisa mais ouvir que “Jesus é lindo”, “Jesus pode te abençoar”, “Jesus fez o culto de hoje ser uma bênção”, “Jesus inspirou o louvor de forma ungida hoje no culto”. O que o mundo precisa ouvir é “JESUS PODE SALVAR VOCÊ DA MISÉRIA E DA PUTREFAÇÃO EM QUE VOCÊ VIVE EM MEIO AO PECADO QUE COMETE DIARIAMENTE. PORTANTO, ARREPENDA-SE!!!”. Pregue isso. Pregue isso, meu irmão, minha irmã. Mostre ao mundo quem o mundo é e mostre ao mundo quem Jesus é: a única esperança. Por isso que nest post hoje só há imagens de Cristo na Cruz. Pois é a única coisa para a qual devemos olhar. Mostre ao mundo que Deus importa.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Fonte: Apenas