Mantenha-me Doce, Senhor

Deus, o Senhor sabe melhor do que eu que estou ficando mais velha e, algum dia, serei velha. Guarde-me de me tornar faladeira, em especial, guarde-me do hábito trágico de pensar que devo dizer alguma coisa (ou postar) sobre todos os assuntos e todas as ocasiões.

Liberte-me da ansiedade de querer endireitar os negócios de todo mundo. Faça-me solícita, mas não temperamental; útil, mas não mandona. Com minha vasta história de sabedoria parece uma pena não usá-la de forma alguma, mas o Senhor sabe, Deus, que quero poucas amigas no meu fim. Guarde-me da ladainha de detalhes intermináveis – dê-me asas para ir direto ao ponto.

Peço graça suficiente para ouvir o relato dos sofrimentos alheios. Sele meus lábios para minhas dores e meus tormentos – eles estão aumentando, e meu amor por relatá-los torna-se mais doce com o passar dos anos. Ajude-me a suportá-los com resignação.

Não ouso pedir pela melhoria de minha memória, e sim por mais humildade e pela diminuição da certeza quando minhas lembranças parecem conflitar com as dos outros. Ensine-me a lição gloriosa de que, ocasionalmente, é possível que eu esteja errada.

Mantenha-me razoavelmente doce. Não quero ser uma santa – é tão difícil viver com alguns deles -, mas uma mulher idosa desagradável e amarga é uma coroação para a obra do demônio.

Dê-me a capacidade de ver coisas boas em lugares inesperados, e talentos em pessoas que ninguém percebe. E, ó Senhor, dê-me a graça de dizer-lhes isso.

– Escrito por uma cristã anonima do século XVII

“Enganosa é a graça, e vaidade, a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada”. (Provérbios 31:30)

Anúncios

Quando O Cansaço Vem

Alguns dias nós nos cansamos e só.
Nos cansamos de relevar.
Nos cansamos das amizades que não frutificam.
Nos cansamos dos relacionamentos que nos sugam.
Nos cansamos das realidades que não mudam.
Nos cansamos de servir interesses pessoais.
Nos cansamos da falta de reciprocidade.
Nos cansamos dos abusos.
Nos cansamos do constante julgamento.
Nos cansamos da avaliação dos nossos atos.
Nos cansamos do cotidiano.
Nos cansamos das mudanças na nossa rotina.
Nos cansamos de errar.
Nos cansamos de sorrir.
Nos cansamos de chorar.
Nos cansamos de esperar.
Nos cansamos de crer.

E nesses dias em que o cansaço exaure a alma, levando como um vento todos os bons sentimentos e os sonhos de um futuro bom, o vazio se torna tão tocável e intimidador.

Alguns dias são mais difíceis e tão dolorosos, e só existe um lugar para onde posso correr e eu corro, porque só existe uma única pessoa que pode consolar meu coração e me dizer: “Você não precisa sentir medo, você não está sozinha”.

E a voz dEle aquece meu coração outra vez.
Seus braços me envolvem e eu não sinto mais o vento cortante.
Seu beijo seca minhas lágrimas.
Seu afago me consola, e eu sou a garotinha do Papai.

Existem dias em que cansamos, e nesses dias eu também me rendo ao cuidado do Pai e então descanso, e repouso no Seu amor, porque existem dias que isso é TUDO o que tenho e nada mais.

“Aquieta minha alma, faz meu coração ouvir Tua voz
Me chama pra perto, só assim eu não me sinto só

Porque na verdade eu descobri que tudo o que eu preciso está em Ti
Mas meu coração é teimoso demais pra admitir
Sei que depender é como viver perigosamente
Mas eu preciso acreditar e confiar no que Você me diz

Eu sei que mesmo sem entender
Você está no controle
Então me esconda no Teu coração
Me amarre a Ti pra eu não desistir
Eu não quero mais fugir
Da Tua vontade pra mim
Eu sei que vai ser difícil
Mas Você estará sempre comigo

E mesmo que minha alma grite
E tente me fazer voltar atrás
Eu vou confiar, eu vou descansar,
Me lançar no Teu amor
No teu amor, Senhor

E se eu cair
A Tua mão me levantará
E se eu chorar
Toda a lágrima Você enxugará

Então vem e aquieta minha alma, faz meu coração ouvir Tua voz
Me chama pra perto, só assim eu não me sinto só

Porque na verdade eu descobri que tudo o que eu preciso está em Ti
Mas meu coração é teimoso demais pra admitir
Sei que depender é como viver perigosamente
Mas eu preciso acreditar e confiar no que Você me diz…”

O Filho Pródigo

O mestre veio e anunciou
Parábolas pro povo ouvir
E relatou
A história de um pai cheio de amor
Dois filhos bons
Um lar feliz
Viviam em paz
Até que o mais jovem
Pediu-lhe a herança e partiu

Rumou pra longe
Entre deleites seus bens desperdiçou
Desamparado, sentindo fome
Do lar se recordou
Na casa do pai há pão sobrando
E eu pereço de dor

Levantar-me-ei
E irei ter com meu pai
E dir-lhe-ei
Eu pequei contra ti
Levantar-me-ei
E a ele pedirei
Faz-me um servo de ti

O jovem pôs-se a caminhar
E ainda distante do seu lar
O pai o avistou
Cansado e triste a retornar
Cheio de amor e compaixão
Correu ao filho e o beijou
Jubilante saiu feliz a festejar

Novas alparcas, vestes e anéis lhe ofereceu
E jubilante exclamou
Meu filho renasceu
Estava perdido
Mas foi achado
Meu filho renasceu

Levantar-me-ei
E irei ter com meu pai
E dir-lhe-ei
Eu pequei contra ti
Levantar-me-ei
E a ele pedirei
Faz-me um servo de ti

Porque O Brasil Ainda É Apenas Uma Promessa Missionária?

Amados,

Nesse final de semana fui confrontada duramente em uma ministração e quero dividir com vocês o que ouvi do Pai.

Há mais de vinte anos temos escutado que o Brasil é um grande celeiro missionário, que alcançaríamos o mundo e que o avivamento final teria início na nossa nação, e com o passar dos anos temos visto a igreja brasileira crescer como nunca antes, mas na medida que crescemos nos distanciamos do propósito e esse é o tema da ministração do Pastor Mário Freitas.

PORQUE O BRASIL AINDA É APENAS UMA PROMESSA MISSIONÁRIA?

ICONIZAÇÃO
A igreja brasileira é essencialmente uma igreja idólatra, ela está firmada em ídolos humanos. É uma igreja que antes de ir para o culto, se informa sobre QUEM é que vai pregar, é uma igreja que vai até um culto só para tirar uma foto, é uma igreja que pede autógrafo em Bíblia, que compra toalhinhas ungidas porque prioriza O HOMEM e não Deus.

ESTRATETIZAÇÃO
Nós como igreja estamos vivendo em função de métodos, idolatrando estratégias, e deixamos de depender da atuação de Deus, da ação sobrenatural do Espírito Santo. Nós dividimos a igreja por causa da estratégia, nós brigamos por causa da estratégia porque ela se tornou mais importante do que a essência do EVANGELHO.

DISTRAÇÃO
Nós nos distraímos entrando em guerras que não são nossas, gastamos nosso tempo com águas que passam. Nós gastamos nosso tempo falando dos pastores em blogs, nós gastamos nosso tempo crucificando quem peca, nós gastando nosso tempo fazendo linchamento moral, nós gastamos nosso tempo discutindo e escrevendo sobre predestinação, nós perdemos tempo com partidarismos, nós gastamos nosso tempo discutindo sobre o que vai acontecer no futuro e perdemos o foco na missão da igreja: A GRANDE COMISSÃO.

BANALIZAÇÃO
Nós deixamos de beber da água da vida e trocamos nossos momentos de oração por ENTRETENIMENTO, nós trocamos a Bíblia por livros, nós passamos a ser relapsos no mais básico, nos pontos cruciais que nos sustentam na nossa caminhada cristã. Grande parte dos nossos pastores lê a Bíblia apenas para produzir sermões, quando não faz isso com base em livros, mas a palavra de Deus já não é mais o seu alimento diário.

Enquanto nós não nos arrependermos, não deixaremos de ser apenas uma promessa. Enquanto não chorarmos e molharmos o chão com a nossa miséria, o avivamento não virá.
Historicamente todo avivamento foi precedido por um mover de arrependimento da igreja, e antecedeu um grande movimento missionário da igreja, porque essa é a sequencia: Arrependimento gera o avivamento, e o avivamento gera missões.

A essência da missão é a compaixão pelos povos não alcançados, mas não tem como sentir compaixão com o coração longe do Pai, e não seremos uma igreja que sente misericórdia e compaixão enquanto não nos arrependermos dos nossos maus caminhos e chorarmos.

Nós precisamos nos arrepender!

Resolvi transcrever essa ministração para aqueles que como eu foram impactados pela vida dos missionários egípcios que conhecemos no ano passado, porque talvez a sua luta seja a mesma que a minha, uma luta para não me esquecer e não deixar que a chama se apague no meu coração.

A realidade da igreja perseguida é brutal, e eu acredito com todo o meu coração que o Brasil é sim um ponto estratégico no cumprimento da missão que Jesus nos deu, e apesar de ouvirmos tantas promessas sobre o Brasil, nós estamos tão enredados por tantas outras coisas e continuamos sendo apenas uma promessa.

É o nosso arrependimento genuíno que vai gerar o avivamento que esperamos!
Arrependa-se enquanto é tempo!
Arrependa-se e chame outros ao arrependimento em amor!
Arrependa-se e chore pelo Brasil!
Arrependa-se e chore pela igreja brasileira!
Arrependa-se e chore por você e pela sua família!
Irmãos, chegou o tempo de gerarmos em lágrimas aquilo que o Senhor quer fazer em nós e através de nós, de respondermos ao seu AMOR tão precioso por nós!

Que a queda de todo farisaísmo, de toda religiosidade superficial, que a queda de toda banalização do evangelho de Jesus, que a queda de toda a corrupção que desejo ver no Brasil e na igreja brasileira comece na minha casa, pela minha família e em meu coração!

É Difícil Te Seguir, Mas É Impossível Te Deixar Senhor

Há alguns anos quando Deus me disse que eu deveria sair de onde eu estava, deixar um trabalho que eu amava sem me dizer o que aconteceria depois, eu não imaginava tudo o que eu viveria depois daquilo, nem de longe eu poderia imaginar tudo o que aconteceria depois daquele passo em obediência. Apesar de ter dado um passo no escuro, meu coração tinha expectativas ocultas, afinal eu era bem sucedida naquilo que eu fazia, então, como eu poderia sair para o nada? Não fazia sentido. Não faz sentido. Mas quando eu busco um sentido lógico eu me esqueço do princípio básico que Deus estabeleceu quando enviou Jesus: Ele não veio fazer sentido, Ele veio confundir.

O fato é que eu sofri muito quando me percebi nesse vão que fica entre o que foi e tudo o que poderia ser, meus sentimentos ficaram presos no passado, e me amargurei porque não via valor em nada que fazia, e não compreendia o que Deus queria me ensinar. A verdade é que eu precisava me render e deixar que Ele me moldasse, apenas isso. Mas eu não conseguia e eu lutei contra Deus, bravamente e ferozmente. E soa engraçado porque como é possível lutar com Aquele que é INVENCÍVEL? Ele sempre vai nos vencer pelo cansaço, e quando enfim eu estava esgotada e quebrada, eu perguntei pra Deus: “O que você quer que eu faça afinal?” E Ele me respondeu: “Nada, eu não quero que você faça nada. Eu só quero o seu amor, eu só quero o seu coração por inteiro. Me ame!”.

Essa foi a minha tentativa de negociar com Deus, eu faria o que Ele queria e Ele faria o que eu esperava que Ele fizesse. Compreende? Mas caminhar com Deus em intimidade joga fora TODA lógica, e essa resposta simples me desmontou, mas arrogante que sou pensei: “UAU! Era só isso?” Pode rir, eu sei que é ridículo. Aquilo que Deus queria me pareceu muito simples no primeiro momento! Mas a nossa jornada cristã nunca é simples como parece ou como planejamos, nossa estrada não é nivelada, a caminhada cristã é essencialmente DESAFIADORA.

Quando eu compreendi o que Deus queria, e meu coração passou a perseguir esse ideal, aconteceu um imprevisto, desses que acontecem sabe? Eu sofri um ataque de alguém íntimo, uma pessoa ferida me feriu, porque é isso que pessoas feridas fazem. E eu fiz aquilo que eu não poderia ter feito, eu não corri pra Jesus, eu não corri aos pés da cruz, e tão pouco corri para o colo do Pai. Não fiz nada disso, eu fiz o que eu nunca fazia, eu liguei para uma amiga, e a ouvi dizer: –“Você espiritualiza demais as coisas, você protege as pessoas, elas são más e você precisa aceitar isso”.

O problema não está no que eu ouvi, mas está no exato ponto em que aceitei aquela palavra como verdadeira, e quando eu fiz isso eu caí no mais profundo abismo. Naquele momento uma brecha se abriu, e eu passei a receber sugestões malignas na minha mente, nos meus sentimentos, e eu entrei numa cadeia sequencial de pensamentos e deduções sobre Deus, e você pode imaginar o que aconteceu. Em um determinado momento eu concluí que Deus não havia me protegido, que tinha prazer em fazer o ser humano sofrer e que eu não merecia passar por aquilo. Bingo! Me senti uma vítima, e meu coração se rebelou contra Deus.

Você sabe o que foi mais interessante nesse processo? É que não demorou muito para eu perceber onde havia me enfiado, mas ter a consciência apenas simplesmente não me tirava daquele lugar, eu não conseguia sair, era como se houvessem rédeas me segurando, e por mais que eu lutasse, era como uma areia movediça, quanto mais eu me movia tentando sair, mais eu me sentia enredada por aqueles sentimentos e pensamentos, e na medida que o tempo foi passando eu me tornei uma pessoa amargurada e sufocada, sem fé e sem brilho. Eu perdi a vida, e descobri que não podia existir sem ELE, e sabe quem eu entendi? Ele mesmo, o próprio Judas. Sem entrar no detalhe das atitudes, mas pensando basicamente em como Judas poderia viver SEM Ele? Como Adão conseguiu existir longe dAquele com quem Ele conversava todos os dias? Quem pode viver longe da PRESENÇA SANTA? Quem pode viver normalmente como se não O tivesse conhecido? Como respirar depois de PERDÊ-LO? Me lembrei de uma frase de Agostinho, muito apropriada:“Senhor é difícil te seguir, mas é impossível te deixar!”

Eu gostaria de dizer que naquele dia em que eu fiz aquele telefonema que não deveria ter feito eu estava vulnerável, mas não, eu não estava. Eu estava cheia de Deus! Naquele dia eu havia ministrado, e Deus veio naquela ministração, os céus se romperam sobre nós. Foi uma bênção! Mas eu fui pega de surpresa no meu orgulho pelas coisas boas que já tinha feito, e esse momento isolado me ensinou duas coisas: Pessoas carnais vão te dizer coisas carnais e precisamos ser radicais quanto ao nosso discernimento e escolhas em momentos de crise,  a segunda lição na prática é que QUALQUER pessoa, num instante de distração pode cair. Quem nos sustenta é o ETERNO e ponto, porque o homem por si só não se mantém em pé. O que nos sustenta é a GRAÇA e a misericórdia de Deus, e se não fosse Ele amados, nós seríamos consumidos pelo fogo.

No fim desse processo, aprendi que Deus não queria me fazer sofrer, Ele queria me curar da necessidade das muletas do ministério, da necessidade de fazer algo relevante, de receber a gratidão das pessoas, da necessidade de ter algo pra contar, queria me fazer livre da necessidade do altar, eu entendi que a minha vida era o altar que Ele desejava. Compreendi que Ele desejava que eu o amasse ainda que não houvesse mais nada, que eu O buscasse pelo prazer de estar com Ele e não porque era preciso, sem expectativas, sem promessas, ainda que restasse apenas o silêncio.

Levou um ano para que Deus deixasse de me resistir. A rebelião é fruto de três sementes: orgulho, soberba e ingratidão, e Ele resiste ao coração que produz esse fruto que o meu coração produziu, e a única arma que pode quebrar essa sequência é a rendição e a humilhação, ninguém pode se aproximar de Deus por outra estrada, não há nenhum outro caminho. E em uma noite de adoração eu me joguei no chão desesperada de saudade, e Ele correu ao meu encontro, me beijou no rosto, trocou as minhas vestes, colocou no meu dedo um anel com o Seu selo, e me calçou. Naquela noite Ele me resgatou da mais densa escuridão que eu já havia experimentado, e pôs os meus pés em um alto e seguro rochedo.

Preciso dizer que tudo mudou depois daquele dia. Alguma coisa mudou dentro e fora, e rompeu de uma forma que apenas ELE poderia fazer. Tenho vivido experiências incríveis com o Senhor, nesses últimos anos o Senhor me levou para tantos lugares, realizou sonhos lindos que eu nem imaginava, me deu novos amigos, amigos apaixonados por Ele que me encorajam e me inspiram, nos confrontou com a igreja perseguida (sobre isso eu quero me aprofundar em outro texto) e eu tenho experimentado o poder da palavra e um caminhar mais íntimo com Ele.

Agora eu experimento a paz de saber que estou onde Ele deseja que eu esteja, sem sofrer por antecipação, sem sonhos pretensiosos para o meu futuro com Ele, vivendo um dia de cada vez, experimentando a dependência e a confiança nAquele que me conduz pelo caminho. Ainda inquieta sim, ainda desejando mudar o mundo sim, mas agora sei que o meu GUIA está no barco e que não estou só, e se as ondas se levantarem, sei que é momentâneo, Ele está no barco e Ele tem planos para nós.

Meu desejo e projeto de vida?
Viver para Ele e morrer por Ele.
Arrancar suspiros e sorrisos do coração do Pai.
Alegrá-lo com a minha existência, porque me pareço com Ele.
Quero que Ele saiba que eu lutei de forma feroz para que o Reino dEle seja estabelecido nesta terra por onde eu passar.
Quero que quando Ele precisar dividir seu coração com alguém, Ele corra seus olhos pela terra e ao me ver ele possa dizer: Minha busca terminou, eu encontrei alguém! Alguém pequeno, mas com uma fome imensa da minha presença.
Quero que o meu coração cante uma canção eterna que O mova na minha direção.
Quero ser a casa favorita, a morada predileta, o coração mais ensinável.
Quero que Ele possa dizer sobre mim o mesmo que disse sobre a mulher do vaso de alabastro: Ela muito me amou!

E eu mal posso esperar pelo grande dia, aquele dia, em que nós vamos nos encontrar novamente, quando enfim voltarei para casa e para os braços do meu Pai. E sabe o que eu sinto? Que Ele me espera ansiosamente, que Ele espera ansiosamente pelo momento em que poderá me abraçar! E você, pode sentir o mesmo? Porque essa é a verdade, Ele espera ansioso pelo instante em que poderá te olhar nos olhos, te chamar por um nome que Ele escolheu e dizer: Vem meu filho, eu estava te esperando!